Buenas gente amiga, no dia 6 encerrou-se o ciclo natalino e o novo ano parece que vai cambiando de andadura, quem tirou férias em dezembro voltou a lida e os que lidaram até então, se foram ao merecido descanso e quando esses retornarem, mais uma leva folgará em fevereiro até o março chegar ordenando que terminou a farra.

 

Enquanto isso o Livro Agenda Gaúcha 2022, (com a história do churrasco), lembra que dia 7 é da Liberdade de Culto e do Leitor; dia 8 – Nacional da Fotografia e do Fotógrafo; dia 9 do Astronauta; dia 11 do Controle da Poluição por Agrotóxicos; dia 13 – Internacional do Leonismo. Por tanto, agradecendo à Deus o privilégio de escrever e de ser lido, o invoco para dizer justamente do Leitor pelo seu dia!

 

Como tal entendo que o hábito de ler é talvez o raro vício que devemos cultuar, alimentar, investir, porque é o único que não tem contra indicação, sendo a temática de valor nobre, os demais vícios todos são prejudiciais, como tá no dicionário: Vício é um hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo ao viciado e aos que com ele convivem.

 

Na teoria literária, há três entidades da história, (o autor, o narrador e o leitor), dos quais o autor e o leitor, residem no mesmo mundo, tendo o autor a missão de criar um mundo alternativo de personagens, cenários e eventos que forme a história e o leitor, tem a missão de entender e interpreta-la, já o narrador só existe no mundo da história, aparecendo de forma que o leitor possa compreendê-lo.

 

A história do Dia do leitor surgiu em homenagem ao poeta regionalista, jornalista, editor, baiano – Demócrito Rocha, que no Ceará fundou o jornal “O POVO” em 7 de janeiro de 1928, ficando conhecido por denunciar a má política e divulgar o movimento modernista literário cearense há época. Demócrito em seu primeiro editorial, poeticamente publicou o que nenhum jornal poderia perder, o dever de informar dignamente a população, sendo a voz popular na defesa da justiça social e fonte de formar no povo o hábito da leitura, com isso passou a data da fundação de seu jornal, como sendo o Dia do Leitor no Brasil.

 

Para pensar:  Agora que a maioria do povo já sabe ler, as elites os alimentam com futilezas, para que não aprendam refletir!